Araguaína, 18/12/2014 - 00:17 hs   |   ANUNCIE AQUI   |   EXPEDIENTE

Anterior

Jorge Frederico toma posse como Deputado Estadual e afirma que Araguaína é a prioridade

07/03/2012

Anterior

Próxima

Mulher: reflexo do amor

08/03/2012

Próxima
em 08/03/2012 às h

Tragédia familiar marca o dia da mulher em Araguaína: vigilante executa a ex-mulher, a irmã e dispara contra a ex-sogra




O dia 8 de março é dedicado a homenagens para as mulheres,  mas em Araguaína  foi marcado por um crime passional, uma tragédia familiar. O bárbaro crime que aterrorizou a comunidade do setor Céu Azul aconteceu por volta das 6:00 hs da manhã dessa quinta-feira. O vigilante Didácio Sousa executou sua ex- esposa, a ex-cunhada e  tentou assassinar a ex-sogra. O mesmo se entregou a polícia e afirmou que cometeu o duplo assassinato em  nome de Deus.

O crime

Por volta das 6:00 horas da manhã, o vigilante Didácio Sousa Melo, 37 anos, morador do Jardim das Flores, se dirigiu até o setor Céu Azul,  na rua Camargo Ferraz onde  invadiu a casa da  ex-esposa Laiara Duarte Silva,de 29 anos, e efetuou dois disparos na cabeça dela. E a vítima veio a óbito no local.  

Em seguida foi até a residência da ex- cunhada, Laiane Duarte Silva, de 19 anos, localizada na rua Tucuruí, e a executou com um tiro no braço e outro na cabeça. A ex-sogra, Edileusa Maria, de 46 anos, tentou socorrer a filha, mas foi alvejada com dois projéteis de arma de fogo na boca, e com o impacto a dentadura caiu no chão. Edileusa foi encaminhada ao Hospital Regional de Araguaína gravemente ferida.

Para a polícia o crime é passional, pois conforme informações coletadas no local, eles viviam um relacionamento conturbado. Segundo o Coronel Carlos, comandante do 2° BPM de Araguaína, o vigilante noturno afirmou para polícia que cometeu o crime em nome de Deus.

A Frieza do assassino

Após barbaridade, o psicopata temendo ser linchado pela população, entrou em contato  com a reportagem do SBT, para assim se entregar a Polícia.  A casa em que o vigilante Didácio estava foi cercada pelo policiamento,  e  o mesmo resolveu  jogar as munições por baixo da porta e em seguida se entregou. Porém, foi preso em flagrante e está a disposição da justiça. Já os corpos foram levados para o IML de Araguaína, e  a mãe das vítimas, Edileusa Maria, foi encaminhada para o Hospital Regional de Araguaína.

A polícia ainda encontrou com o acusado, um revólver calibre 38, cano curto,  com 5 munições deflagradas  e 3 intactas.

A revolta

Parentes e amigos ficaram revoltados com a barbaridade do crime que chocou toda a comunidade local. Uma mulher,  parente das vítimas passou mal, e foi socorrida pelo SAMU.  No último final de semana, o pai das duas jovens faleceu por motivos de saúde. A ex-esposa Laiara Duarte Silva, deixou uma filha de apenas um ano e nove mese de idade, que ficou, a princípio, nas mãos do conselho Tutelar de Araguaína. Da familia ficaram apenas três pessoas, a mãe das vitimas fatais, que se encontra internada e um irmão de 16 anos, que está muito abalado com a tragédia e filha do casal.

Lei Maria da Penha

Os casos de agressão a mulheres são frequentes em todo o país, e independente de  classe social, inúmeras mulheres são cometidas a agressões físicas ou verbais.  Em 7 de agosto de 2006, a lei de número 11.340,conhecida como  Maria da Penha, foi sancionada pelo ex-presidente do Brasil Luiz Inácio da Silva. A lei tem como objetivo punir os agressores contra a mulher no ambiente doméstico. Desde sua criação, a lei passou por mudanças e hoje qualquer pessoa pode denunciar  o agressor, sem ter que ser necessariamente a vítima que na maioria dos casos  se cala por medo e ameaças.

 



Deixe seu comentário




Link:



  Publicidade  
Colunistas
Opinião
Por José Américo