Araguaína, 18/12/2014 - 06:25 hs   |   ANUNCIE AQUI   |   EXPEDIENTE

Anterior

Durante inaguração da UHE, Siqueira Campos pede à presidente Dilma Rousseff a construção de mais três usinas no estado

17/10/2012

Anterior

Próxima

Exclusão do estado do Tocantins do “Horario de Verão” está praticamente descartada

18/10/2012

Próxima
em 18/10/2012 às h

Relembre os principais acontecimentos que marcaram a trajetória de Ronaldo Dimas rumo à prefeitura



 Foto: Ronaldo Dimas Exercendo a cidadania (Foto) Fernando Almeida 

No último dia 7 de outubro o engenheiro civil Ronaldo Dimas Nogueira Ferreira, 52 anos, natural da cidade de Frutal (MG), sagrou-se prefeito de Araguaína por meio da vontade popular.  Apesar de vencer a adversária Valderez Castelo Branco (PP) com 61% dos votos válidos, o caminho de Ronaldo Dimas para chegar ao Palácio Tancredo Neves, sede do governo municipal, foi marcado por desafios, alianças, lutas, vitórias, articulações, batalhas nos tribunais e renúncias.

As primeiras manifestações

No final do ano passado, em meio a incertezas, muitas possibilidades e um cenário político indefinido, vários nomes já eram mencionados para a disputa do cargo de prefeito nas eleições municipais em Araguaína, mas eram apenas especulações. Porém, conforme o Ministério Público, no dia 23 de setembro de 2011, o Secretário Estadual das Cidades Ronaldo Dimas foi apresentado como pré-candidato do PR, ao lado do senador João Ribeiro e outras lideranças políticas. 

Era a primeira vez, às vésperas e durante o processo Eleitoral, que Dimas enfrentava a Justiça. O republicano foi multado em 16 mil reais, por fixar 3 faixas na ruas de Araguaína com publicidade considerada extemporânea, segundo o MP. A decisão de primeira Instância saiu somente 8 meses depois,  em 1 de Junho de 2012.

Durante 5 meses, entre Setembro de 2011 e Fevereiro de 2012,  a movimentação política em Araguaína aconteceu mais nos bastidores e praticamente não houve novidades nesse período. Porém, no início de Fevereiro deste ano haviam comentários de que o candidato  a prefeito de Araguaína, apoiado pela base governista seria o secretario da SETAS, Agimiro Costa, mas, numa reunião na Aciara no dia 25 do mesmo mês, Siqueira Campos, governador do estado, demonstrou preferência a Dimas, destacando a importância de gestores com o perfil técnico. Dimas também foi colocado em lugar de destaque na cerimônia.

Primeiros passos e Adesões

Era a primeira demonstração de que Ronaldo Dimas seria o candidato da base governista em Araguaína. Mas, uma decisão mais concreta saiu no dia 6 de março, quando Dimas deixou a Secretaria das Cidades para se dedicar à Campanha em Araguaína.   Houve uma trégua de 3 meses e as discussões políticas foram mais amplas a partir do inicio de Junho.  No dia 6 de Junho, data em que o PTB declarou apoio a Ronaldo, o vereador Gerônimo Cardoso, estava no evento mostrando que o grupo era forte e conquistaria muitos apoios. Em 11 de Junho, o único deputado estadual do Partido Progressista, Raimundo Palito, anunciou sua adesão à candidatura do republicano. E no dia 13 do mesmo mês o deputado Jorge Frederico (PSD) anunciou apoio a Ronaldo Dimas. Mas a grande surpresa aconteceu em 20 de junho, quando o presidente da Câmara, Elenil da Penha (PMDB), opositor e crítico ferrenho de Siqueira Campos, oficializou sua candidatura como vice de Ronaldo Dimas, apoiado pela base governista.

Desde esse marco histórico da política araguainense, a sucessão de acontecimentos fortalecia ainda mais a candidatura de Ronaldo Dimas. Entre estes, houve a desistência de Paulo Couto (PDT), que disputaria a prefeitura, mas anunciou apoio ao republicano no dia 23. Também nesse período, a ala resistente da base governista, formada pelo deputado estadual Jorge Frederico e pelo presidente municipal do PSDB, Josué Luz, desistiram de protestar e aderiram a Dimas; outro fato importante foi a adesão de 6 partidos no dia 29/06 ( PRB, PRTB, PRP,  PSL,  PSC, PTN e PMN).

Composição da base aliada

A partir dessa sequência de episódios positivos, a candidatura do republicano começava a se concretizar. Mas, somente no dia 29 de junho, durante a Convenção Municipal, Ronaldo Dimas e Elenil foram oficializados com candidatos, com uma coligação formada por 17 partidos (PR, PMDB, PTB, PSL, PPS, PSDB, PMN, PRTB, PSD, PRB, PSDC, PSC, PV, DEM, PTN, PDT e PRP).  E no dia 07 de julho o pedido para registro das duas candidaturas foram protocolados no Cartório Eleitoral de Araguaína. Fato este que parecia estar tudo dentro das conformidades.

O maior tempo na TV

Ronaldo Dimas entraria o mês de Agosto com o pé direito, com a divulgação, no dia 6, do tempo de TV para o Horário Eleitoral, onde ele ficou com o maior tempo, 246 minutos a mais que Valderez. Mas, a composição da chapa de Ronaldo inspirava cuidados, pois parecia já haver mau agouro sobre o caso, e a Justiça começou a incomodar tanto quanto o calcanhar de Aquiles. Isso porque no dia 3 de agosto, o segundo tropeço do republicano já havia acontecido: a juíza da 1ª Zona Eleitoral, Julliane Freire Marques, indeferiu o registro de candidatura da Coligação “Juntos Por Araguaína,” em decorrência do vice Elenil da Penha ter contas rejeitas pelo TCE e as candidaturas serem indissociáveis.

Embates judiciais

Porém, uma vitoria parcial do TRE no dia 23 de Agosto, quando o pleno decidiu manter a candidatura de Elenil da Penha, deu fôlego à campanha da coligação, que explorou muito a temática da ficha limpa, em referência à decisão e também em critica à adversária Valderez Castelo Branco, que teve o registro negado pela Justiça de segunda instância.   No dia 28 de agosto, a candidatura de Ronaldo enfrentou outra decisão Judicial desfavorável, por propaganda irregular, em virtude do uso de camiseta pelos militantes durante uma caminhada e o valor estipulado pela sanção foi de 500,00 reais para cada peça confeccionada ou distribuída.

A Substituição do vice

Durante estes mais de um mês, quando a decisão sobre o registro de candidatura de Elenil foi para o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Ronaldo Dimas continuou fazendo campanha e liderou as 4 pesquisas de intenção de votos que foram divulgadas. Outro fator positivo, que contribuiu muito para a vitória do republicano, foi que, apesar de ser candidato da base governista e ter apoio do atual prefeito, ambos com muita rejeição, Dimas conseguiu desvincular sua imagem desses dois.

De última hora, outra surpresa, a renúncia do vice Elenil da Penha (PMDB), que ainda estava com pendência Judicial e colocava em risco toda a chapa. Faltando apenas 1 hora para encerrar o prazo final para mudança de candidatos, os advogados protocolaram a renúncia de Elenil e o pedido de registro da candidatura do substituto, Fraudineis Fiomare Rosa.

A vitória

Apesar dos grandes desafios enfrentados, Ronaldo Dimas se tornou o prefeito eleito de Araguaína, capital econômica do estado e segundo maior colégio eleitoral do Tocantins. Dimas comemorou a vitória numa carreata pelas ruas de Araguaína na noite do dia 7 de outubro.  O republicano teve mais de 50 mil votos (61% dos válidos) e sua base aliada conseguiu eleger 14 dos 17 vereadores, os adversários apenas 3.  

 



Deixe seu comentário




Link:



  Publicidade  
Colunistas
Opinião
Por José Américo