Araguaína, 23/12/2014 - 00:09 hs   |   ANUNCIE AQUI   |   EXPEDIENTE

Anterior

Prefeitura realiza força tarefa contra a Dengue em Divinópolis

25/03/2013

Anterior

Próxima

Em Itacajá, Governo anuncia R$ 195 milhões em asfaltamento de rodovias que irão integrar todos os municípios da região

25/03/2013

Próxima
em 25/03/2013 às 17:20 h

Unidade hospitalar construída há quase 2 anos ainda está inutilizada e sem previsão de funcionamento



 Foto: Fernando Almeida 

Com investimento superior a 1,8 milhão, a UPA permanece fechada e sem previsão de funcionamento

Fernando Almeida e Ramila Macedo

As obras da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Setor Bela Vista em Araguaína foram concluídas há quase dois anos, mas o início do funcionamento da mesma ainda não tem previsão.  O investimento foi superior a 1,8 milhão, a estrutura física começa a ser danificada e segundo a prefeitura, para ser reaberta ainda há necessidade de fazer convênios com o Estado e a União, e uma repactuação com a Pró-Saúde, em que o executivo deve arcar com 200 mil reais mensais.  

Sinais de abandono

A estrutura física já começa sofrer com a ação do tempo. Na parte externa é possível ver infiltrações, rachaduras e a deterioração da pintura na parte inferior da laje. O gerador, responsável pelo abastecimento de energia, caso haja problemas na rede elétrica externa, está exposto à sujeira.

População

 

Enquanto a unidade de Saúde permanece fechada, moradores das proximidades precisam buscar tratamento em bairros mais distantes, como na UPA do Setor Araguaína Sul ou posto de saúde do Setor Couto. A vendedora de cosmético, Pâmela Jordanna, sabe bem como é essa realidade.

É muito ruim, pois ela é duas ruas abaixo da minha casa.  Semana passada minha filha adoeceu,  eu tive que ir de moto mais ela para UPA  do Araguaína Sul. Pense na dificuldade pra quem depende de moto, para andar com criança correndo risco, sendo que a daqui dá pra mim ir a pé,” reclama.

Sem prazo

Segundo o prefeito Ronaldo Dimas, a prefeitura estava com gasto de 700 mil reais por mês, para custear as despesas com a UPA, Hospital Municipal e o Ambulatório. Os recursos eram do tesouro municipal, mas a prefeitura não conseguiu arcar e isso gerou uma dívida de quase 4 milhões de reais com a Pró-Saúde em apenas 06 meses. “Estamos fazendo uma repactuação com a Pró-Saúde, estamos prevendo que seja em torno de 200 mil, o custo pago pelo município e complementado pelo governo federal e pelo governo estadual. A partir do momento que a gente chegar nesse novo acordo, nessa repactuação contratual, aí a gente vai pensar em abrir essa nova unidade” afirmou  Dimas. 

Investimento

A obra foi concluída em julho de 2011  na gestão do ex-prefeito Valuar Barros e o investimento foi de R$: 1.856.431,76 (um milhão, oitocentos e cinquenta e seis mil, quatrocentos e trinta e um reais e setenta e seis centavos), sendo a construtora M-21 LTDA, responsável pela construção do prédio com área de  1.081,96 m2, segundo divulgado no Diário Oficial do Estado em 22 de fevereiro de 2010.   

 



Deixe seu comentário




Link:



  Publicidade